A invasão dos “proletaróides”

Giovanni Alves analisa os rolezinhos e propõe a categoria de “proletaróide” como dispositivo de reflexão sobre a dinâmica de classes do Brasil na era do neodesnvolvimentismo. Importante para nós a análise comparativa entre proletaróides e precariado.

Blog da Boitempo

13.12.20_Giovannia Alves_A invasão dos proletaróides[Georg Grosz, Großstadt, 1916/17]

Por Giovanni Alves.

“Mete a beta da New Era, no pé calça o Puma Disc,
Tá de
Hurley, de Lacoste, Armani, Abercrombie Fitch,
e o cordão que as gata enxerga de longe,
não é por simpatia, nem por interesse, mas quer viver bem…”

“Luxo e camarote”Mc Samuka e Nego

Com a explicitação dos limites do neodesenvolvimentismo, ocorre, de forma magistral, a revelação de novas dimensões da estrutura de classes e estratificação social no Brasil. Enquanto as manifestações de junho de 2013 expuseram a problemática social do precariado (o que discutimos no ensaio “A revolta do precariado“), os “rolezinhos” nos shopping centers expõem mais uma dimensão das contradições das classes e suas camadas sociais no Brasil, abertas na era do neodesenvolvimentismo: a problemática social dos “proletaróides”.

Num primeiro momento, utilizamos o conceito de “proletaróide” inspirando-se…

View original post 4,520 more words

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s